No BRB, a parada tá difícil de entender.
Sem gente o suficiente querem a todos atender!

Nas agências, o semblante é de dor.
Mas a diretoria nada faz, já perdeu o pudor!

Nós corredores da direção geral
É comum a péssima avaliação do clima institucional.

Mas o medo impera,
Só de ouvir determinados nomes há trabalhador que desespera!

Num clima tão pesado não há quem brinque,
Todo mundo sai correndo se ouvir: lá vem Paulo Henrique!

Avaliam os bancários:
Nós sabemos ler e ninguém há que nos faça de otários.
Será que ninguém há que ouça nossa voz?
E possa nos livrar desta condição atroz!

Publicado por Enfrente

A Frente Nacional de Resistência e Ação Sindical Bancária (EnFrente), defende os princípios de um sindicalismo democrático, classista, autônomo, de massas e de luta. Queremos radicalizar a democracia e buscar uma forma horizontal de construção de lutas, pautas, mobilizações e enfrentamentos aos ataques contra os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *