Deputada Erika requer explicações sobre reestruturação do BB

A Deputada e bancária, Erika Kokay- PT- DF apresentou, dia 24/02/21, na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, o Requerimento de Informação, RIC 169/2021 que solicita ao “Ministério da Economia informações sobre o Plano de Reestruturação do Banco do Brasil e a possibilidade de fechamento de agências no Distrito Federal e os impactos negativos dessa eventual medida aos cidadãos e à economia.”

Para ajudar na tramitação do requerimento e abrir o debate na Câmara dos Deputados contra o desmonte do BB público e trazer à tona a pressão em seus funcionários e funcionárias, acesse e clique no link da enquete abaixo e Concorde Totalmente, conclama Jefão Meira, secretário de Relações do Trabalho da CONTRAF-CUT.

https://forms.camara.leg.br/ex/enquetes/2270850

No escopo do requerimento, a deputada Erika Kokay questiona:

I) Qual é exatamente a proposta de “reestruturação” elaborada pelo Banco do Brasil para o Distrito Federal e quais os reais objetivos da mesma? Solicita-se cópia.

II) Qual o cronograma para a efetivação da proposta?

III) Segundo o comunicado enviado ao mercado pelo Banco do Brasil, em 11/01/2021, serão fechados 361 pontos de atendimento. Quais as localidades de cada um deles, por município?

IV) Em relação ao Distrito Federal, quais agências serão fechadas?

V) Quantos funcionários aderiram ao Plano de Desligamento Voluntário (PDV) no DF:

VI) Quais medidas serão adotadas pela direção do BB para manter o atendimento da população do DF nos pontos que eventualmente tenham atividade bancária encerrada?

VII) Qual destino será dado às contas e às operações dos clientes/usuários Pessoa Física e Pessoa Jurídica das agências eventualmente fechadas no DF? Como será o relacionamento com os mesmos?

VIII) Quantos empregos diretos e indiretos serão cortados no DF e nos municípios afetados?

IX) Tendo em vista que, em mais de dois séculos de existência, o BB se consolidou como um dos principais bancos do país, não apenas em patrimônio e receita líquida, mas sobretudo pelo seu papel social e como grande protagonista do desenvolvimento econômico nacional, como a atual direção do banco avalia os efeitos do processo de “reestruturação” na economia do Distrito Federal e das demais regiões impactadas?

X) É notório que o processo de desligamento de funcionários e fechamento de agências trará enormes prejuízos à sociedade como um todo. Revela-se por demais preocupante a forma com que o Banco do Brasil decide implementar o PDV justamente em meio a uma grave crise econômica e sanitária de nível global. Qual a real justificativa para tal? Qual o cronograma para a efetivação dessas mudanças e como serão administrados os reflexos dessa decisão na Previ e na Cassi?

Na conclusão, o requerimento pondera:

“Vale lembrar que a diminuição do número de agências terá́ impacto sobre o comércio e a economia das regiões afetadas. O acesso aos serviços bancários tais como recebimentos de benefícios, pagamentos e saques em agências estará comprometido. Face ao exposto, e considerando a importância do Banco do Brasil para a consecução das políticas fundamentais ao desenvolvimento nacional e o seu caráter público, bem como o exercício constitucional do múnus público fiscalizatório atribuído ao Congresso Nacional perante os atos do Poder Executivo (Art. 49, X, da CF), solicitamos as supracitadas informações.”

https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2270850

Publicado por Enfrente

A Frente Nacional de Resistência e Ação Sindical Bancária (EnFrente), defende os princípios de um sindicalismo democrático, classista, autônomo, de massas e de luta. Queremos radicalizar a democracia e buscar uma forma horizontal de construção de lutas, pautas, mobilizações e enfrentamentos aos ataques contra os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *