A Frente Nacional de Resistência e Ação Bancária (EnFrente) considera absolutamente inaceitável a “proposta” apresentada pelo Banco do Brasil nesta terça-feira dia 24 a algumas entidades do funcionalismo, que simplesmente destrói a essência da Caixa de Assistência (Cassi) tal como foi construída pelos trabalhadores em muitas décadas de luta.

A “proposta” do banco acaba com o princípio da solidariedade ao instituir cobrança por dependente, põe fim ao modelo de gestão compartilhada ao criar duas novas diretorias a serem ocupadas por agentes do mercado, institui o voto de Minerva no Conselho Deliberativo e aumenta a contribuição dos trabalhadores, enquanto mantém sua parte inalterada.

Essa tentativa do banco de acabar com um modelo de assistência à saúde que é paradigma para a classe trabalhadora é uma provocação e uma afronta ao funcionalismo e ao movimento sindical bancário.

É uma medida de caráter francamente neoliberal que converge para o esforço de privatização do Banco do Brasil.

Deve ser, portanto, rechaçada por todas as entidades sindicais.

Publicado por Enfrente

lançamos a Frente Nacional de Resistência e Ação Sindical Bancária (EnFrente), com o objetivo de resgatar os princípios de um sindicalismo democrático, classista, autônomo, de massas e de luta. Queremos radicalizar a democracia e buscar uma outra estrutura, que vai além de uma nova corrente política dentro da Contraf e da CUT, mas uma forma horizontal de construção de lutas, pautas, mobilizações e enfrentamentos.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *