Nesta terça-feira (11) os dirigentes sindicais Eduardo Araujo e Jefão Meira, ambos funcionários do Banco do Brasil, se reuniram em Brasília com o deputado federal Paulo Pimenta (PT/RS) pedindo o apoio do parlamentar contra a reestruturação anunciada pelo banco, o Performa.

Além de deixarem o parlamentar a par de todo o absurdo que o programa Performa representa para o funcionalismo do banco, Araujo e Jefão também alertaram Pimenta de que o Performa antecipa no banco a reforma administrativa que o governo Guedes-Bolsonaro pretende impor neste ano.

O deputado fez uso da palavra hoje (12) no Congresso Nacional apoiando os sindicatos dos bancários de todo o país, mobilizados num Dia Nacional de Luta no BB, bem como evidenciando a antecipação da reforma administrativa imposta pela direção do banco.

Em sua fala, Pimenta denunciou que o governo Bolsonaro está promovendo no Banco do Brasil a redução de remuneração das funções, o congelamento das carreiras, a institucionalização do desvio de função, a criação de um plano de cargos paralelo e o ataque à área tecnológica, com o claro objetivo de deixar o banco pronto para a privatização.

A declaração de Paulo Pimenta no Congresso fortaleceu e deu maior visibilidade ao Dia Nacional de Luta no BB, bem como marca o início das articulações parlamentares em defesa tanto do banco quanto dos direitos dos seus funcionários frente aos novos ataques do governo.


Publicado por Enfrente

lançamos a Frente Nacional de Resistência e Ação Sindical Bancária (EnFrente), com o objetivo de resgatar os princípios de um sindicalismo democrático, classista, autônomo, de massas e de luta. Queremos radicalizar a democracia e buscar uma outra estrutura, que vai além de uma nova corrente política dentro da Contraf e da CUT, mas uma forma horizontal de construção de lutas, pautas, mobilizações e enfrentamentos.

Participe da discussão

1 comentário

  1. Temos q denunciar o crime de lesa-pátria do Paulo Guedes e seu brinquedinho chamado Bolsonaro em todas as frentes. Parabéns, EnFrente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *