Categorias
Notícias

Eu Sou + Saúde BRB! Ninguém toca na Nossa Saúde!

Só de pensar na deterioração do plano de saúde os funcionários estão ficando doentes.

Desde o início do nosso plano de saúde ele sempre esteve ligado ao banco, instituições do conglomerado e diretamente aos funcionários que são os maiores interessados nesse benefício conquistado pela luta dos trabalhadores.

Em 1986 foi criado o programa de saúde que era gerido pelo RH do próprio banco; no ano de 1997 a gestão foi transferida para a Régius. Já em 2002 houve a criação da BRB Saúde e em dezembro de 2010 o nome fantasia foi mudado para Saúde BRB. Esse histórico demonstra que ao longo do tempo o conjunto dos funcionários buscou desenvolver um plano de saúde solidário, com participação dos empregados e que prestasse o melhor atendimento com custo acessível, que se fosse privado seria financeiramente insuportável para quase totalidade do corpo funcional.

A nossa Associação dos Empregados do BRB (AEBRB ) arca com o custeio de 25% das despesas assistenciais da Saúde BRB, sendo que o dinheiro para isso vem da receita da associação com os alugueis e exploração do balcão do banco por meio da BRB Card e da Corretora de Seguros com a venda de seus produtos.

Qual um grande problema?

Nós falamos que é da exploração do balcão que sai grande parte do custeio do nosso plano de saúde, lembra?

Pois é, apesar disso a gestão de Paulo Henrique chegou a soltar nota ao mercado dizendo que tem interesse em licitar o balcão de negócios do BRB. Se isso viesse a ocorrer, a fonte de recursos da associação praticamente secaria e a Saúde BRB restaria inviabilizada financeiramente. Mesmo que o banco diga que manteria o plano, seria um movimento de transferência do custeio para uma entidade privada, onde não há a participação dos funcionários e que visa acima de tudo o lucro.

Não é difícil imaginar um cenário no qual o banco e a hipotética empresa que estivesse fazendo uso do balcão começassem a fazer discussão sobre como o banco ter mais retorno de um lado e como a usuária do balcão ter mais lucro do outro. Será que o passo seguinte não seria licitar também a saúde dos trabalhadores para ver quem cobra menos por uma assistência precária, a fim de que o banco e a empresa exploradora de nossa estrutura possam auferir maiores dividendos?

Mas isso é uma bola de neve. Como todos sabem, os planos de saúde privados são caríssimos. Assim, se na tríade banco, empresa exploradora do balcão e plano de saúde privado todos visam lucro e querem o maior retorno possível, pra quem sobraria a conta? A resposta é certa: Para os funcionários. Com planos de saúdes mais precários, mensalidades e contas muito mais altas para pagar.

Mudança da sede do Banco e de empresas do conglomerado

Tem circulado a informação pelos corredores que o BRB estaria alugando quatro torres de um edifício novo e moderno no comercial no Setor Bancário Norte. O argumento seria a necessidade de se reformar o Edifício Brasília. Ouve-se ainda que, com a mudança, a intenção seria unir todas as empresas do conglomerado, incluindo BRB Card e Seguros BRB no mesmo local.

Se isso acontecer, poderá impor um risco ainda maior ao nosso plano de saúde, uma vez que, além da perda de receita com a venda do balcão, a associação perderia também a receita dos alugueis das salas do Edifício Athenas utilizadas por empresas do banco, fato que poderá até inviabilizar a cessão das salas à Clinica Saúde BRB.

Diante disso, é importantíssimo que a diretoria do banco demonstre o apreço que diz ter pelos empregados resolvendo urgentemente essa questão com a associação dos mesmos.

Todos devem ir à Assembleia

Será uma boa oportunidade para a AEBRB e Banco esclarecerem sobre todas as tratativas a respeito da Saúde BRB e sua perenidade. Sabendo que o futuro do nosso plano de saúde está em jogo, nenhum de nós tem o direito de vacilar. Cada um deve fazer a sua parte. Por isso fica o chamamento a cada um dos trabalhadores para que todos estejam presentes na assembleia da AEBRB que ocorrerá no próximo dia 11, sexta-feira, na AABR, às 19h, já em segunda chamada.

Cristiano Severo
Daniel de Oliveira
Cida Sousa
Ivan Amarante
Samantha Sousa
Raquel Santos
Aline Gualberto
William Roberto

Enfrente – Frente Nacional de Resistência e Ação Bancária

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *