Os quatro maiores bancos de capital aberto do país (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander) tiveram que pagar em caixa quase R$ 35 bilhões como resultado de condenações em ações trabalhistas entre 2008 e 2016, equivalente a 8% da folha de pagamento do período. No fim do ano passado, esses quatro bancos mantinham reservados nos balanços mais R$ 18 bilhões para fazer frente a novos pagamentos de mesma natureza.

Segundo reportagem do Valor Econômico desta segunda-feira 4 de setembro, os bancos ansiosos e esperam deixar de embolsar essas multas bilionárias assim que a contrarreforma trabalhista de Temer entrar em vigor, em novembro.

Veja a matéria aqui.

Publicado por Enfrente

A Frente Nacional de Resistência e Ação Sindical Bancária (EnFrente), defende os princípios de um sindicalismo democrático, classista, autônomo, de massas e de luta. Queremos radicalizar a democracia e buscar uma forma horizontal de construção de lutas, pautas, mobilizações e enfrentamentos aos ataques contra os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *