Categorias
Destaques

BB não repassou à Cassi os recursos prometidos na mudança do estatuto

Até esta quarta-feira 15 de janeiro o Banco do Brasil não havia repassasado o R$ 1 bilhão prometido para dezembro de 2019 como compromisso assumido pelo banco para negociar a reforma estatutária votada em novembro do ano passado.

O banco encaminhou à Cassi uma minuta de convênio contendo exigências que não estão previstas no estatuto, tentando obrigar a Cassi a prestar informações sobre a saúde dos associados. Os diretores eleitos da Cassi não aceitaram a cláusula estranha ao texto estatutário.

Há mais de dez dias o assunto se arrasta sem qualquer definição do BB, que insiste em aproveitar o momento para exigir da Cassi as informações que deseja.

Além disso, o BB quer obrigar a Cassi a lhe dar exclusividade para aplicação de recursos e serviços bancários.

Com a demora do banco em repassar os recursos, a Cassi perde cerca de 200 mil reais por dia.

11 respostas em “BB não repassou à Cassi os recursos prometidos na mudança do estatuto”

O Banco quer informações sobre a saúde dos participantes, porque? Para vender a carteira dos que são sãos para os planos de saúde dos outros Bancos? Ele está aplicando o novo Estatuto fraudado e não quer entrar com o dinheiro? A CASSI não ia falir se esse dinheiro nào entrasse em dezembro/19?

Essa hipótese de passar os dados para o mercado é real, pois a Cassi em dois anos acabará novamente com os recursos que ingressaram atualmente!

Existe um compromisso assinado e registrado, que faz lei entre as partes. O contratante que não cumprir sua parte no que avençou pode ser compelido a fezê-lo na esfera judicial, com a reparação dos danos a que deu causa. Só isto, nada mais !

Até que onde mais vai chegar a falta de dignidade dos dirigentes do BB? Sempre voltando atrás, tentando mais vantagens do já levaram nos acordos?!?!?! Agora chantagem ?!?!?! Descarada?!?!?!?

Pois é. Os dirigentes sindicais que apoiaram o SIM q respondam perante à base. Agora vão inventar alguma mentira pra se safarem. Deixe alguém do sindicato que apoiou essa merda passar por aqui.

Pior que os colegas da Direção Geral do BB esqueceram que estamos todos no mesmo barco e estão se comportando como comandantes de Campos de concentração nazistas. “Estamos apenas cumprindo ordens dos Diretores que, por sua vez, também estão apenas cumprindo ordens do Governo”, dizem. Foi o mesmo que os militares dos campos de Auschwitz, Birkenau, Chelmno etc alegaram na corte estabelecida em Nuremberg para julgar criminosos de guerra. Os colegas da Direção Geral do BB não estão assassinando pessoas consideradas “inferiores”, mas sim os seus próprios futuros! Será que se Hitler pedisse para assassinar o futuro da Alemanha, a ordem teria sido cumprida? Henry Thoreau dizia, ainda no séc XIX que o Estado não era uma máquina à qual os cidadãos deveriam servir, mas o contrário: era o governo escolhido pelo povo para que exerça a vontade do povo. Porém, as pessoas que encarnam o Governo também estão sujeitas ao abuso e à perversão e isso não pode ser admitido pelo povo, por sua consciência. Suas ideias foram seguidas por Leon Tolstóleo, Mahatma Gandhi e Martin Luther King Jr. Parafraseando Thoreau, afirmo que se a ordem for injusta ou requer que você seja o agente da injustiça, você tem a obrigação moral de não compactuar com o mal e deve desobedecer a ordem. Apelo aos colegas da Direção Geral do BB e da Cassi: não compactuem, hajam como Rosa Parks e não como Maria Mandel. Sigam os exemplos de Martin Luther King Jr. e Ghandi e não de Carl Clauberg, Franz Hössler e Rudolf Höß. Consultem suas consciências!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *