Categorias
Notícias

Bancários repudiam ataques infundados e manifestam solidariedade a Dom Angélico

Dom Angélico Sândalo Bernardino, de 85 anos, está sendo vítima de críticas infundadas em setores da Igreja e mentiras e agressões de ódio, preconceito e intolerância nas redes sociais, depois de ter presidido a celebração da palavra em memória à ex-primeira dama Marisa Letícia, no último sábado (7), no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP). Ela completaria 68 anos, se não tivesse falecido durante o período de perseguição jurídica e midiática que sofreu ao lado do ex-presidente Lula e da sua família.

Ex-bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e atual bispo emérito de Blumenau, Dom Angélico realizou um ato ecumênico com representantes de várias religiões. Ele afirmou que Lula, quando presidente, “fez um governo voltado para o povo”. O bispo lembrou o golpe de 1964 para afirmar que o Brasil vive um momento semelhante, diante do golpe do poder econômico com o apoio do Parlamento. “Isso é um desrespeito solene à democracia”, destacou.

O cardeal Dom Odilo Pedro Scherer chegou a apontar a “instrumentalização política” do ato e divulgou uma nota para dizer que a Arquidiocese de São Paulo e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) não tiveram qualquer participação.

Dom Odilo é o mesmo que, em outubro do ano passado, apoiou a iniciativa descabida do então prefeito de São Paulo e agora pré-candidato a governador, João Doria (PSDB), de anunciar um composto alimentar feito com comida prestes a ser jogada no lixo — a chamada farinata e que acabou mais conhecida como “ração humana”.
Os bancários conhecem bem a longa trajetória de Dom Angélico, desde a luta pela redemocratização do Brasil. Mais recentemente, em 7 de setembro de 2016, ele celebrou missa no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, durante a 29ª Romaria dos Trabalhadores e o 22º Grito dos Excluídos, onde denunciou o capitalismo e criticou os banqueiros.

“O sistema capitalista é responsável pela miséria de milhões no mundo. É um sistema explorador e sem vergonha, não só no Brasil. A grande crise econômica está em muitos países do mundo, sendo causada pelo sistema capitalista liberal que nos domina”, afirmou o bispo.

Na ocasião, Dom Angélico também defendeu a greve dos bancários e disse que está do lado da categoria. “Os bancários estão em greve e nós, eu estou apontado para mim aqui, estamos do lado deles, porque os banqueiros acumulam fortunas e quando se trata de aumentar salário é aquela disputa, e fazem com que os bancários entrem em greve”, explicou. “Parabéns, bancários, vamos lutar ao lado de vocês, porque Jesus está ao lado dos pobres e dos explorados”, concluiu o sermão.

Após o golpe parlamentar, jurídico e midiático de 2016, vivemos hoje um estado de exceção no Brasil com retirada de direitos dos trabalhadores, entrega de patrimônio público e desrespeito à Constituição. O maior exemplo é a prisão de Lula, condenado sem provas e sem crime pelo juiz Sergio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), para impedi-lo de ser candidato a presidente nas eleições de outubro.

Manifestamos todo o nosso apoio e solidariedade a Dom Angélico, cuja voz nunca se calou diante das opressões e sempre se posicionou em favor da justiça, dos direitos humanos, da democracia e da soberania dos povos.

Que Dom Angélico continue pregando com fé e esperança! É um profeta do nosso tempo, autêntico pastor em defesa da vida e da dignidade da classe trabalhadora.


Frente Nacional de Resistência e Ação Bancária (EnFrente)

Assista ao vídeo onde Dom Angélico apoia os bancários
https://www.youtube.com/watch?v=N6DoRD1i5Vk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *